domingo, março 12, 2006

Ainda sobre as eleições da AMLEI

Depois das explicações apresentadas por joão salgueiro para o desenrolar da novela ‘Eleições da AMLEI’, o Presidente da Câmara é publicamente desmentido por António Pires na última edição d’O Portomosense.
Esta novela passou despercebida ao cidadão menos atento às questões políticas concelhias.
No entanto, não deixa de ser caricato e até inédito, o Presidente da Câmara Municipal de Porto de Mós ser desmentido publicamente. E logo n'O Portomosense!
Nesta novela, joão salgueiro estará certamente tão farto de representar o papel de engolidor de sapos que o que deseja mesmo é que este assunto seja esquecido e por isso não responderá a António Pires.
Ou será que ainda irá fazer uma derradeira tentativa de explicação do inexplicável?

Sem grandes dotes para futurologia, o cilício antevê que salgueiro use em alternativa a sua melhor arma para sair das broncas. A breve prazo arranjará outra...

terça-feira, março 07, 2006

Sobre os Imigrantes

"Os imigrantes que estão em Portugal dão mais dinheiro ao Estado do que aquele que recebem dele e ocupam empregos que os portugueses se recusam a ter, revela uma análise económica do BPI hoje divulgada.

«Apesar da forte percentagem de imigrantes ilegais, os processos de regularização extraordinários permitiram que a entrada de novos indivíduos no sistema se traduza num contributo positivo para as contas públicas», escreve a analista Susana Santos com base em dados do Alto Comissariado para a Imigração e Minorias Étnicas.

De acordo com dados do Observatório da Imigração de 2003, os imigrantes em Portugal deram um contributo líquido de 323 milhões de euros ao Estado português, valor perto do lucro anual da concessionária de auto-estradas Brisa em 2005.

Os imigrantes são um «importante recurso» para a economia portuguesa, sobretudo os mais qualificados, porque a sua educação não custou dinheiro ao Estado e porque alguns pagam impostos.

O BPI diz que a comunidade imigrante contribuiu com 400 milhões de euros para os cofres públicos em 2003.

«Não raras vezes os imigrantes contribuem de forma indirecta sem que daí lhes advenha qualquer tipo de proveito, passando muitas vezes à margem do sistema nacional de saúde e segurança social», lembra a mesma especialista.

A análise mostra também que o desemprego português não aumentou por causa da imigração, já que os imigrantes normalmente preenchem vagas em que os portugueses não estão interessados, com salários mais baixos e condições de trabalho precárias.

Susana Santos considera que os imigrantes podem funcionar como «estímulo» para a economia portuguesa uma vez que fomentam o aumento da produtividade e porque, com o crescimento da população activa, o consumo potencial também cresce.

Os dados oficiais do Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram que em 2001 havia em Portugal perto de 240 mil imigrantes, embora se saiba que o número é hoje claramente superior a esse.”

quinta-feira, março 02, 2006

BI... ?

De facto as abordagens são ligeiramente diferentes.

O GUARDARIOS é mais brejeiro, mais impulsivo, apresenta o seu título sempre em maiúsculas, fala na primeira pessoa e corre mais riscos na ocultação da sua identidade. Não será a personalidade mais emocional do mesmo teclado?

Afinal, o cilício já se assumiu como um exer­cício esquizofrénico...

Entre dezenas de layouts disponíveis no blogger, será mera coincidência os dois blogs terem o mesmo aspecto?